sexta-feira, 20 de julho de 2012

Reintegração

Imagem by Freepik

Pesquisando o significado da palavra Reintegrar, encontrei o seguinte: Dir. Restabelecer alguém na posse de um bem, de um emprego de que foi privado; Reconduzir; v. pr. Obter a reintegração; ser novamente investido em: reintegrar-se no cargo...
Dos significados encontrados, o que mais gostei foi reconduzir. Conduzir já me parece uma palavra bonita, me lembra uma atitude doce e delicada de quem leva a algum ponto pela gentileza, não pela força. 
Voltando ao tema, penso que a reintegração é integrar de novo. Me parece aquele gesto carente no mundo, de resgatar o que está perdido ou solitário. A partir do momento em que reintegramos alguém que por algum motivo estava excluído (do mundo ou de si mesmo), estamos lhe dizendo: "você errou, ou se perdeu, mas está tendo uma nova chance, uma chance de fazer diferente aquilo que não deu certo e, portanto, se desintegrou."
Muitas coisas podem levar alguém a se desintegrar, não como nos filmes de ficção científica em que uma arma faz o indivíduo sumir literalmente. O que some é a auto-estima, a esperança, a fé e o amor. Bens que não são vistos a olho nu, mas que doem, talvez ainda mais, no íntimo.  Esse sentimento pode ser causado por traumas, perdas, preconceito, escolha de caminhos errados, imaturidade, egoísmo, culpa...
O único caminho para reintegrar alguém que não se sente mais parte atuante da vida é o amor. Atitudes amorosas e livres de pré-julgamentos são capazes de se tornar uma boa cola para reunir os pedacinhos de gente que por vezes ficam espalhados pela estrada. Só ele é capaz de provocar a confiança necessária para a reintegração.
Quando nova, nunca entendi muito bem a Parábola do Filho Pródigo ( quem não conhece, está aqui) por achar injusta a atitude do pai em relação ao filho fiel que sempre esteve presente. Hoje continuo achando injusta hahaha, mas consigo entender a iniciativa de resgate do pai em relação ao filho que havia se perdido. Quando pensei em escrever sobre o tema, foi a primeira história que veio em minha mente. Exemplo sólido do poder do perdão e do prevalecimento do amor. Só através deles foi possível a reintegração.
Não somos mais do que um pequeno grão nesse mundo. Perder tempo julgando e excluindo torna essa sociedade um mundo ainda mais bizarro para se viver. 
Reintegrar leva mais tempo...mas sem dúvida faz um bem danado para ambos os lados. 


"Amar é acolher, é compreender,é fazer o outro crescer."

Zilda Arns Neumann


Essa é minha participação na última fase da Blogagem Coletiva "Amor aos Pedaços", promovida pelos blogs:
Luz de Luma
Publicar para Partilhar
Espiritual-Idade


Fonte: http://www.dicionarioweb.com.br/reintegrar.html

*Estou de férias do trabalho mas ainda estudando, em breve coloco minhas visitas em dia! :)

54 comentários:

  1. Lindo texto a parábola é linda sem duvida.
    feliz dia do amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Waldir. A parábola é realmente linda quando entendemos seu significado. Um abraço!

      Excluir
  2. oi Bia vim te trazer meu abraço neste dia especial. ”Existem pessoas em nossas vidas
    Que nos deixam felizes
    Pelo simples fato de terem
    Cruzado o nosso caminho
    E você é única em minha vida.”
    Obrigada por sua amizade!
    Beijinhos com afeto
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gracita, obrigada por deixar seu abraço acompanhado de versos tão singelos. Um abraço!

      Excluir
  3. Acredito que o problema da reintegração é que as pessoas sempre esperam algo em troca, sempre esperam o bom ato voltar para si, mas sabemos que nem sempre isso acontece... (do jeito que queremos que aconteça)
    Bjos!
    amonailart.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Valquíria! Esse esperar algo em troca é quase inevitável e um grande erro. A reintegração ocorre quando há o amor incondicional, que convenhamos, não é nada fácil de ser exercido. Mas é possível. Um abraço!

      Excluir
  4. Oi Bia,
    estive atenta para poder reintegrar você na coletiva (ah ah ah).
    Valeu a pena esperar. Seu texto é muito belo, tem aquela beleza rara que só o amor incondicional transmite.
    Visitando as participações percebi 2 grandes braços que as pessoas escolheram para abordar o tema:
    Reintegrar alguém ao mundo (pessoal ou geral)
    Reintegrar-se a si mesmo a nível interno

    O primeiro nos conduz ao perdão e amor ao próximo.
    O segundo conduz-nos ao autoperdão e amor próprio.

    Enxerguei esse paralelo mais nitico aqui no seu texto.
    Foi bom para mim terminar as visitas com seu blog.
    Beijinhos.
    Rute
    (amanhã dia 21 tem BC da Aleska, BC Corpo de Mulher. Meu post já está agendado para 00:01, se quiser espreitar ou participar...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rute, finalmente consegui participar!
      Tem razão, o amor incondicional pode levar à reintegração, amor esse que depende de exercício para conter a necessidade humana de sempre querer algo em troca. Meu objetivo agora é desenvolver esse tipo de amor.
      Falou algo muito interessante, a reintegração em si mesmo. Isso pode ser muito mais difícil do que o primeiro tipo de reintegração, porque depende da vontade da própria pessoa em se aceitar e querer mudar suas atitudes.
      Fico feliz que tenha gostado, estarei atenta para a proposta de novas blogagens. Um abraço!

      Excluir
  5. Oi Bia,
    Interessante você falar da parábola,porque muitas vezes o sentimento de perdão não é entendido facilmente,mas ao perdoar estamos juntando pedaços do que um dia se perdeu,e o que se perde pode se encontrar novamente.
    E o amor é isso,uma grandeza espiritual,algo bem maior do que o que aparece por aí.
    um ótimo final de semana,abraço,=)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suelen, muito lindo o que escreveu, dispensa maiores comentários.
      Esse amor, com grandeza espiritual, não é nada fácil de ser praticado, por isso mesmo é tão raro de se encontrar. Um abraço!

      Excluir
  6. Minha amiga arrasou eu tbm quando vi a parábola do filho prodigo pensei caramba o outro nunca teve uma festa depois sim com o tempo a minha mente se abriu foi muito inteligente em dar ela como exemplo neste post.

    Um amigo verdadeiro é alguém que crê em ti ainda que teu deixes de crer em ti mesmo.
    Feliz dia do amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia, adoro sua presença por aqui, sempre tão carinhosa. É interessante como a evolução natural que adquirimos com a vida nos faz enxergar as coisas com outros pontos de vista, como aconteceu em relação à essa parábola.
      Linda definição de amigo verdadeiro! Acreditar é a chave. Um abraço!

      Excluir
  7. Oi Bia,

    Que lindo texto, sem amor nada faz sentido...

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Lindo texto Bia. Sabe que tambem achava injusta essa estoria do filho prodigo? mas hoje entendo, é uma ato de amor.
    bjs
    Lila
    http://lcg-esmalterapia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lila, sim é um ato de amor e generosidade. Um abraço!

      Excluir
  9. Que postagem linda! De um significado tão profundo e humano! No início de minha postagem há um selo pelo dia do amigo!
    Por favor aceite-o! É de coração!
    Feliz Dia do Amigo!
    Ganhei teu votinho no Top Blog Brasil?...
    Um abençoado e feliz final de semana!
    Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elaine! Vou buscar o selinho em seguida e colocá-lo em minha Galeria. Já votei sim no seu blog! :)
      Um abraço!

      Excluir
  10. Oi Bia

    Ficou linda a sua participação na Reintegração.

    Na vida precisamos nos reintegrar tantas vezes, somos também agentes de reintegração de tantos outros.

    Feliz dia do amigo!

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Van. É verdade, é entre o processo de se desintegrar e reintegrar que crescemos como ser humano. Vejo ajudar o outro a se reintegrar como um ato de amor, pena que algumas pessoas o veem como uma humilhação. Um abraço!

      Excluir
  11. Bia,

    Eu fiquei aqui pensando na reintegração e me veio à cabeça a reintegração das pessoas que cometeram algum crime.
    Como somos falhos em reintegra-las!
    Temos um sistema carcerario que mais se assemelha a um zoologico ruim, com celas superlotadas e quase nenhum trabalho com o objetivo de reintegração.Eles ficam o tempo todo desocupados e utilizam este tempo para se reorganizarem na unica coisa que aprenderam a fazer. E tambem cooptam os presos primarios que a eles se associam por falta de opção ou sobrevivencia. E o pior é, que se algum deles consegue se manter alheio a estas tramas e sai de lá tentando se reabilitar, nos agimos com uma tremenda discriminação e não lhes damos nenhum apoio.Triste isso, né?
    Viagei por aqui......mas cabia no tema, você não acha?

    bjo procê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lufe. Sabe que, quando pensei no tema, automaticamente também me lembrei do sistema carcerário. Não quis me estender no assunto por isso não citei, mas concordo contigo.
      Um lugar onde as pessoas deveriam ser reabilitadas, estudar, aprender um ofício, ter uma certa dignidade para se sentirem aptas a retornar à sociedade acaba se tornando um depósito de gente e uma fábrica de marginais.
      É claro que há pessoas que gostam de praticar o mal, mas há aqueles que não tiveram oportunidades ou que simplesmente erraram e tem o direito de fazer diferente, mas o sistema infelizmente não ajuda a resgatar essa parcela que gostaria de se reintegrar.
      Sem falar nesse outro lado, da discriminação. Quantas pessoas que conhecemos contrataria um ex-ladrão para trabalhar em seu estabelecimento comercial, por exemplo? Certamente, muito poucas. Também acho triste, e cabia sim perfeitamente no tema.
      Um abraço!

      Excluir
  12. Oi flor! Desculpa a demora para retribuir sua visita ao meu blog! Eu fiquei sem computador por uns ias, mas estou de volta!

    Beijinhos e Feliz dia do amigo!

    Te espero no meu blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu, feliz Dia do Amigo atrasado, um abraço!

      Excluir
  13. Sua participação ficou muito boa. O amor é o caminho para tudo. E só com ele se pode reconduzir alguém à jornada da qual se perdeu. O filho pródigo era o que precisava de ajuda. Quando conhecemos a parábola somos muito jovens para entender. Creio que acontece com todos. Depois, a vida nos mostra a sabedoria que ela contém. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene. Concordo que a imaturidade nos faz ver a parábola do ponto de vista do filho que ficou e não consegue observar o alcance e a sabedoria que a história abrange. Um abraço!

      Excluir
  14. Oi Bia!
    Lindo o texto.
    Reintegrar prá mim também tem um significado doce, de amor, de trazer de volta, de ensinar o caminho.
    Achei linda a forma como você abordou.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Albuq, é isso. É como ajudar alguém a reencontrar seu caminho, para que consiga seguir feliz. Um abraço!

      Excluir
  15. Oi Bia,
    Reintegrar-se é voltar à vida, sorrir aos quatro ventos, bater no peito e gritar: Eu vivo e tenho dignidade.

    Abraços e bom descanso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nestor, que lindo! sim, resumiu muito bem o conceito de reintegração: voltar à vida e resgatar a dignidade. Um abraço!

      Excluir
  16. Oi Bia
    Muito bom o texto, como sempre. Quer dizer que vc acha a parábola do filho pródigo injusta? kkkkk, é uma opinião, e opinião não se discute, acho que quando se fala de reintegração, é uma palavra que abrange muitas áreas, vc pegou uma área, ficou bom, tirando a parte da parábola, eu concordo com vc.
    Bjão. Feliz dia do amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciana. É injusta dependendo do ponto de vista que se analisa. Do ponto de vista do filho parece injusta...mas é lógico que hoje entendo que o alcance da parábola é muito maior do que somente um ponto de vista. Sua lição é linda, de generosidade e perdão. Um abraço!

      Excluir
  17. Reintegração, faz-me lembrar de renovação... e renovação sempre traz boas energias na vida, Bia. abraços e feliz dia do amigo atrasado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi, Barbie, reintegração e renovação tem tudo a ver...ótima comparação. Um abraço!

      Excluir
  18. Olá Bia,

    Linda a sua abordagem. Bem sensível e pertinente.
    Concordo que o amor é o único caminho para reconduzir alguém à esperança e à vida.

    Parabéns pela bela participação!

    Deixo-lhe um abraço especial pelo dia do amigo.

    Ótimo final de semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera, um abraço carinhoso para você também!

      Excluir
  19. Oi Bia, gostei demais de sua interpretação para reintegração.
    Fiquei pensando e entendo também que soa melhor quando a palavra é usada para explicar alguém que está sendo renovado, reintegrado á convivência, à vida.
    Aí voce citou a parábola do filho pródigo e nos deu um belíssimo exemplo de perdão e aceitação. É mesmo dificil aceitar a injustiça se olharmos pelo ponto de vista do irmão. Mas se olharmos como o pai, tudo fica bem mais fácil.
    As palavras de Zilda Arns são perfeitas para explicar o que é amar, coisa que ela soube fazer como poucos.
    Belíssimo texto, parabéns! um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ivani! Essa visão sob a ótica do pai é algo que adquirimos com tempo, quando se é jovem somos filhos e os filhos querem tudo para si. A partir do momento em que crescemos e nos tornamos pais ou mães entendemos o quanto perder um filho é doloroso e o quanto o perdão e o resgate se faz importante. Afinal, aos olhos do Pai, todos somos seus filhos e merecemos ser resgatados e renovados. Um abraço!

      Excluir
  20. A sociedade tende a crucificar e nesse caso, acho que você associou a reintegração ao perdão porque na parábola do filho pródigo existe toda a figura de um julgamento, onde cada membro da família tem a sua própria opinião.
    Passamos pela questão do perdão, quando nos julgamos e enfrentamos nossos fantasmas. Tudo resolvido, temos a sensação de liberdade e reintegrados ao meio que gostaríamos de estar.
    O amor tudo rege! Tudo define! Através do amor crescemos como pessoa.
    Bia, abri sua postagem assim que adicionei seu link no luz, mas qual arrumava tempo para vir? Obrigada por participar e, aguarde! Teremos surpresas!!
    Bom fim de semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luma, a sociedade pode mesmo ser muito cruel. Apesar disso penso que a própria pessoa pode ser muito mais cruel consigo mesma do que a própria sociedade, e se ela não se permitir errar e rever seu erro, ninguém poderá ajudá-la. Tomo isso por mim mesma.
      Aguardo suas surpresas, sempre criativas!
      Um abraço!

      Excluir
  21. Lindo texto, Bia, o amor juntamente de uma boa dose de solidariedade. Zilda era uma pessoa inigualável. Saudades dela. Beijos e bom domingo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio. Há muitas pessoas boas no mundo, mas poucas dispostas a arregaçar as mangas e fazer sua parte como fez a Zilda. Talvez por isso ela seja tão lembrada e querida. Um abraço!

      Excluir
  22. Bom dia com alegria pra vc tbém!
    Vim tomar um cafézinho com vc e desejar
    o melhor pq sendo essa pessoa maravilhosa
    merece todo meu carinho
    Abraços
    Rita!!!!

    Gostei do post e como foi colocado
    muito bom mesmo
    bjãoooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rita, adoro tomar café com os amigos, acho que é um dos grandes prazeres da vida. Um abraço!

      Excluir
  23. Parabéns pela forma que incluiu a parábola em sua reflexão casou bem demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabriela, não pude deixar de citar, foi a primeira história que me veio à cabeça. Confesso que foi algo surpreendente para mim. Um abraço!

      Excluir
  24. Ei Bia,

    Bom dia amiga,

    Sua postagem esta uma excelência, e a citação da parábola do filho pródigo fechou com chave mestra. A única forma de nos reintegrar sem sombra de dúvidas é o amor . A REINTEGRAÇÃO é o novo batendo a porta, é reconciliação, reconquista de afetos e confiança. O filho pródigo ele teve que sair do aconchego do pai para sentir o que ele significava, teve que ser ingrato para conhecer a gratidão. Quando leio esta parábola sempre me vem a memória que herança geralmente se dá quando o pai morre, ele em sua tão sagacidade e ambição exigiu isto do pai, a sua parte e o pai em sua sabedoria lhe deu, acredito que ele sabia o que estava fazendo, o filho que ficou teve que entender que tudo que o pai tinha era dele, e o outro ficou apenas com o que teu egoismo e ambição pedia . A festa era a reintegração, o renovo, a nova aceitação e o valor mais sublime que ele ensinou o "Perdão". O amor supera os maiores obstáculos na vida do ser humano e o refaz em sabedoria e sentimentos.....Aplausos pela sua sensibilidade em expandir um tema preciosíssimo...

    Amiga comunico que prorroguei por conta própria o dia dos amigos, agora passa a ser no dia "Pra sempre", só porque não deu tempo para eu visitar meus melhores e maiores amigos, ao qual Deus me presenteou neste mundo virtual e você é uma delas que aprendi a amar de coração aberto mesmo...Agradeço te por isto, por esta permissão e pelo carinho que sempre me proporcionou além do apoio....

    Abraços e obrigadaaaaaaaaaaaaaaaa minha AMIGA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cecília. Muitas vezes durante a vida agimos como o filho pródigo, como aquele que precisa perder para dar valor, e com o passar dos anos entendemos o sentido da palavra gratidão. Muito interessante você ter destacado a sabedoria do pai em dar ao filho sua parte na herança antecipadamente. Só assim foi possível ao filho perceber o quanto os bens materiais podem ser efêmeros e o quanto o calor do aconchego do pai podem significar.
      Cecília, me arrepiei com sua mensagem final. Infelizmente por conta dos estudos também não pude visitar grande parte dos queridos amigos virtuais no dia, mas penso que amizade de verdade é aquela que se constrói todos os dias.
      Você é sempre muito bem vinda por aqui, e ter criado um blog me ajudou muito porque me fez conhecer pessoas maravilhosas, como você.
      Um abraço carinhoso!

      Excluir
  25. Oi Bia! Parabéns pelo belo texto. Quanto à parábola, digo: Procuramos a jóia perdida não as que estão no cofre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda frase, Manoel. É muito mais nobre resgatar o que está insegurança do que está sob nosso zelo. Um abraço!

      Excluir
  26. Bia,
    Que texto maravilhoso! Reintegração. Essa palavra altera sensivelmente o significado de perdão.
    Perdoar não significa esquecer, apagar da memória, extinguir um acontecimento. Perdoar é reintegrar. Reconduzir alguém ao mesmo lugar que ocupava em nosso coração antes da ofensa, ou até um lugar melhor.
    E não há força melhor que o amor para fazer isso.
    Mais uma vez, texto belíssimo!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Isa, não seria capaz de acrescentar mais nada ao seu ponto de vista, uma vez que traduz exatamente o que sinto a respeito. Obrigada por acrescentar suas palavras ao meu espaço! Um abraço!

      Excluir
  27. Eu também sempre achei injusta a parábola do filho pródigo. Tipo, o cara saiu, curtiu todas, foi pra balada, depois perdeu tudo e o pai o tratou como rei, enquanto o outro que estava ali, o tempo todo, não tinha todo aquele privilégio.
    Até que um dia, entre minhas "peregrinações" espirituais, eu conversei com um missionário da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e ele me deu uma explicação um pouco mais... razoável, digamos assim.
    Não recordo muito bem as palavras (sou péssimo para decorar versículos, fico besta quando vejo quem os tem na memória), mas quando o filho leal reclama, o pai diz que não tinha porque tratá-lo daquele modo, visto que tudo o que ele tinha era dele. E assim, por vezes, somos nós com Deus. Se somos filhos dEle, então tudo é nosso, apenas não enxergamos e o que nos torna indignados e inaptos a desfrutar de tudo o que nos pertence é aquela palavra polêmica chamada "fé".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chris, tipo, é isso mesmo. Curtiu todas e voltou com a maior cara-de-pau...Mas esse é um só lado da questão.
      Também não tenho facilidade para decorar versículos, mas achei bárbaro o ponto de vista explicado por esse missionário. Chris, essa é uma das batalhas que travo comigo mesma: a de manter a fé quando tudo à volta parece ruir, exatamente por isso: porque rui aos nossos olhos, mas aos olhos de Deus as pertenças continuam ali, firmes e prontas para serem desfrutadas. Um abraço!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.