domingo, 23 de julho de 2017

Aterramento: a base para a mudança efetiva

Sempre ouvimos falar sobre a necessidade de estar no agora, embora a teoria se distancie da prática devido às imposições aceleradas que a própria vida nos coloca e oferece. Sabemos o que fazer, mas não sabemos por quê nem como. Desde que comecei a me aprofundar em estudos que propiciem melhor qualidade da vida, percebi que o princípio do "aterramento" aparece em todas as filosofias e técnicas, sendo a base para o começo das mudanças em realidades problemáticas e opressoras.


imagem pinterest

Estudos mostram que além de pensarmos em excesso temos dificuldades de mantermos o foco e quando o fazemos, dispersamos a cada 5 segundos! Por exemplo, na alquimia desmembrada por Jung, o princípio do aterramento, chamado "Coagulatio", é simbolizado pela terra, pela necessidade do ser humano de estar inteiro no momento presente, metaforicamente "enraizado", por mais difícil que esteja a realidade.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Pensando com calma, tudo torna-se possível



imagem daqui


Um caçador estava passando por situação difícil, há dias não conseguia caçar nada e estava ficando preocupado com sua família. Um dia encontrou o que menos esperava: um unicórnio! Logo pensou, "a carne servirá minha família por um bom tempo, e conseguirei um bom dinheiro pela pele e chifre raros!" Armou seu arco e quando iria disparar a flecha, o unicórnio o olhou e disse:

sábado, 8 de julho de 2017

As flechas dos sentimentos

"Enquanto viver e amar, haverá flechas atravessando seu caminho". Essa fala de Buda está no livro "O cérebro de Buda", excelente para quem deseja ler sobre Neurociência na vida prática!


Um dos tópicos mais interessantes que encontrei fala sobre situações desagradáveis que desencadeiam algum tipo de emoção - essa seria a primeira flecha. O problema começa quando reagimos a esta emoção desencadeando outras emoções - as flechas secundárias, ou "aquelas que atiramos em nós mesmos". As flechas secundárias geralmente desencadeiam uma série de outras flechas numa reação em cadeia, causando um sofrimento que poderia ser evitado.

domingo, 25 de junho de 2017

A calça roxa

Já há algum tempo, de posse do conhecimento de que é importante estar bem interna e externamente o maior tempo possível, tenho prestado mais atenção ao meu visual, inclusive dentro de casa.

Há coisas que nunca fiz na frente de um homem, como por exemplo, pintar o cabelo. Não vi uma pessoa até hoje que ficasse sensual com as madeixas lambuzadas de tinta, hahahaha... considerei muito corajoso quando vi há uns anos uma colega colocando uma foto desse momento como perfil em seu Facebook. Menina porreta! kkkkkk



gif daqui


Mas por mais cuidado que se possa ter, todo mundo tem aqueeeela peça bizarra em seu guarda-roupa - a minha é uma calça roxa de soft para dormir. Minha mãe pediu que eu fizesse um robe com esse tecido e como sobrou boa quantidade, usei para fazer a "peça da discórdia". É muito quentinha e confortável, o problema é que é muito larga e para piorar, uso com uma blusa de lã cor-de-burro-quando-foge e com meias felpudas listradas coloridas. Visual mais quentinho, impossível! E esquisito, muuuito esquisito, kkkkkkkk!!!

domingo, 18 de junho de 2017

O castigo que virou profissão

Ontem, assistindo ao programa Que Seja Doce*, da GNT, conheci a história de Sirley, uma doce senhora grisalha de óculos.


imagem daqui


Aos três anos de idade Sirley ficou órfã e mudou-se com sua irmã para um orfanato coordenado por freiras. Um dia, quando foi dormir, pensando em sua boneca que estava guardada dentro de um armário, imaginou o quanto ela estaria com medo do escuro. Teve então a ideia de acender uma vela dentro do armário para a boneca, rsrsrs.